• Fernando Brandão

Fratura do úmero com lesão do nervo radial

Atualizado: 16 de Mai de 2020


Anatomia do nervo radial


O nervo radial origina-se do plexo braquial, um complexo de nervos oriundos da coluna cervical responsável pela inervação de todo o membro superior. Faz um trajeto posterior ao úmero, estabelecendo um contato próximo ao osso. A mais ou menos 10 cm do cotovelo, faz um trajeto em espiral ao redor do úmero, cruzando para a região anterior-lateral do braço, local onde fica mais suscetível a lesões no casos de fraturas.


O nervo radial é responsável pela ativação do tríceps braquial e dos músculos que fazem a extensão do punho e dos dedos (braquioradial, extensor comum dos dedos, extensor do polegar, entre outros) e é responsável pela sensibilidade da região dorsal do antebraço e do dorso da mão próximo ao polegar.


Fratura da porção inferior do úmero (trajeto do nervo radial)

Fratura do úmero


A fratura da diáfise do úmero ocorre principalmente em traumas torcionais de média ou alta energia e traumas diretos de alta energia, como em acidentes, quedas e agressões. Frequentemente, apresenta fragmentação do foco de fratura com 2 ou mais fragmentos acometidos.

O diagnóstico costuma ser bastante direto, existindo deformidade do braço e dor intensa no momento da fratura



Como saber se o nervo radial foi acometido durante a fratura do úmero?


O exame físico é bastante sugestivo. Na lesão do nervo radial, ocorre perda de sensibilidade no dorso da mão na região da primeira comissura (espaço entre o polegar e o indicador) e perda de força para extensão do punho e dos dedos, incluindo o polegar, levando à posição de "mão caída". Um exame neurológico completo consegue detectar essas alterações.



Na lesão do nervo radial existe perda completa do movimento da mão?


Não, as funções dos outros dois principais nervos do membro superior, nervos mediano e ulnar, costumam ser preservadas. Por isso, geralmente são mantidos os movimentos de flexão dos dedos, oponência do polegar (movimento de pinça) e abdução (afastamento) dos dedos.

Em 30 a 50% dos casos a lesão do radial é parcial, ficando preservado o movimento ativo de extensão do punho e dos dedos com força reduzida.



A lesão do radial pode ocorrer depois da fratura ter ocorrido?


Sim, esta situação é chamada de lesão secundária do nervo radial, aquela que ocorre durante o tratamento da fratura. A lesão secundária é responsável por até 20% dos casos.



Pode existir recuperação espontânea da função do radial?


Sim, estudos demonstram recuperação entre 40 e 85% das lesões primárias, que ocorrem no momento da fratura, e em 100% das lesões secundárias (ocorridas durante o tratamento).


Fernando Brandao medico ortopedista especialista em ombro e cotovelo

Autor:

Dr. Fernando Brandão de Andrade e Silva é médico ortopedista especialista em cirurgia do ombro e cotovelo, com graduação pela Faculdade de Medicina da USP, residência médica no IOT-HCFMUSP e doutorado no Departamento de Ortopedia da USP. Atua na área de assistência, ensino e pesquisa no Hospital das Clínicas da USP. Realiza atendimento em clínica particular e cirurgias nos principais hospitais de São Paulo.

Contato Whatsapp CLIQUE AQUI

logo-whatsapp-png-transparente17_editado

CLÍNICA CARECLUB

Atendimento particular

Endereço:

Av. Brigadeiro Luis Antonio, 4615
Jd. Paulista, São Paulo-SP

logo telefone.png

(11) 3050-5570

logo careclub medicina esportiva.png

IOT - HCFMUSP

Atendimento de convênios

Endereço:

Rua Dr. Ovídio Pires de Campos, 333, 1o andar
Cerqueira César, São Paulo-SP

Agendamento on-line: clique aqui

logo telefone.png

(11) 3145-4050

logo_iot_w214-2.png
logo medicina usp.jpg

TIRE SUAS DÚVIDAS

Envie uma mensagem com suas dúvidas. Se desejar agendar uma consulta, preencha o horário de preferência e deixe seu contato, entraremos em contato.

Obrigado! Mensagem enviada.